11/24/2011

Os Presbiterianos saíram do Catolicismo mas o Catolicismo nao saiu deles

Precisamente a 1 hora da manhã, ao raiar o dia 08 de junho a irmã Celina foi batizada com o Espírito Santo, falando em novas línguas, e isto por duas horas seguidas, conforme depoimento de Vingren em seu diário: "A primeira operação do batismo com o Espírito Santo feita pelo Senhor Jesus em terras brasileiras." Era então o dia 08 de junho de 1911. Esse acontecimento deu margem a expulsão de todos os simpatizantes da doutrina pentecostal da Igreja Batista.
Eu me pergunto se ja existia essas Igrejas tradicionais no Brazil,por que o Sr Deus permitiu que esses valiosos homens desembarca-se no Para?
Respondo:Para que o povo brasileiro senti-se o poder do Espirito Santo.
Como disse antes,ja existia no Brasil essas Igrejas seculares que pregava um evangelho frio.
Mas sobre Frieza e mundanismo a Presbiteriana e perita.
Uma Igreja que a unica diferença que tem sobre o catolicismo e adoração de imagens.
Nada contra mas ate o modo dos pastores(ou padres?) se vestirem e parecido com os trajes romanos.
Os presbiterianos saíram do Catolicismo mas o catolicismo nao saiu deles,o que falta nos Presbiterianos gelados e conhecer o poder sobre natural do Espirito Santo.
Mas acho difícil porque santidade no corpo na alma e no espirito passa bem longe desse povo.

1 comment:

Luiz de Oliveira said...

Não seria exagero dizer que a história da Igreja Presbiteriana no Brasil tem início no dia 7 de março de 1557, quando chegou à Guanabara um grupo de huguenotes (calvinistas franceses) com o propósito de ajudar a estabelecer um refúgio para os calvinistas perseguidos na França. Perseguidos também na Guanabara em virtude de sua fé reformada, alguns conseguiram escapar; outros, foram condenados à morte por Villegaignon, foram enforcados e seus corpos atirados de um despenhadeiro, em 1558. Antes de morrer, entretanto, foram obrigados a professar por escrito sua fé, no prazo de doze horas, respondendo uma série de perguntas que lhes foram entregues. Eles assim o fizeram, e escreveram a primeira confissão de fé na América (ver Apêndice 2), sabendo que com ela estavam assinando a própria sentença de morte.
Porém essa história bela e regada a sangue por amor A Deus e sua obra ainda que acalentada por 305 anos, como não poderia ser diferente, teve continuação da parte de Deus, pois em janeiro de 1862, o segundo andar de um prédio na Rua Nova do Ouvidor, 31 Centro do Rio de Janeiro, foi o local em que o missionário Ashbel Green Simonton (1833-1867) recebeu a confissão de fé de duas pessoas e declarou organizada a Primeira Igreja Presbiteriana do Brasil, sede da Igreja Presbiteriana do Brasil. A instituição evangélica, de tradição calvinista, é marco do presbiterianismo no país e pertence à família das igrejas reformadas ao redor do mundo. Sua origem remonta à Reforma Protestante. Contemporâneo do sacerdote agostiniano alemão Martinho Lutero (1483-1546), o teólogo Ulrico Zwinglio (1484-1531) também inspirou na Suíça um movimento religioso de reforma, que ganhou corpo e se espalhou sob a liderança do teólogo francês João Calvino (1509-1564), autor das Institutas (tradução do latim Institutio Christianae Religionis).
Nas últimas décadas a IPB continuou a crescer e a diversificar as suas atividades. O ambiente político e teológico tornou-se mais conciliador, num ambiente de crescente pluralismo, mas ainda persistem tensões latentes. A igreja sofre o impacto dos novos movimentos que tem afetado o protestantismo brasileiro, especialmente nas áreas litúrgica e doutrinária. O neopentecostalismo tem exercido fascínio sobre muitos pastores e comunidades. No aspecto positivo, destacam-se a maior preocupação com a educação teológica, a criação de vínculos com igrejas reformadas ao redor do mundo, o investimento em missões transculturais, o notável crescimento na área de publicações e a utilização dos meios de comunicação de massa, como a televisão e a Internet.

Parabéns, amada Igreja!

Parabéns pelos 152 anos da Igreja Presbiteriana no Brasil, pois foi com muita luta, sangue e amor aO Senhor que a Igreja fez e continua a fazer uma linda história em nosso país.